Casa Linda, tudo em decoração, reforma e muito mais.

Como transformar o quarto com almofadas

Com cores e formas você pode mudar a cara do seu quarto!

Por Redação Casa Linda - 06/12/2013

Recomende →

Envelope Enviar por e-mail

Para renovar o quarto não é preciso quebra-quebra ou muito gasto, basta escolher almofadas bonitas e coloridas! Foi assim que a arquiteta Regina Segura, de Itanhangá, no Rio de Janeiro, transformou o quarto da pequena Isabella. “As almofadas são práticas, dão conforto, ‘vestem’ a cama, sofá ou poltrona, pois compõem a peça”, salienta a profissional. Veja a diferença do antes e depois!

Mais vida

O espaço de 14m² ganhou cor e vida com o uso de lindas almofadas. “Na colcha, optei pelo patchwork, pois a variações de estampas e cores facilita na combinação e uso de muitas cores juntas”, explica Regina.

Regina Segura/Divulgação

Regina Segura/Divulgação

Como usar
As almofadas do fundo são as maiores e servem como espaldar para a cama/sofá, sustentando as outras à frente. Assim, a disposição das almofadas é sempre da maior para a menor e de trás para frente. Nesta composição foram usadas: almofadas grandes atrás ou futon, que são almofadas em forma de paralelepípedo, com espessura; capas de travesseiro, onde o travesseiro do dia a dia é guardado numa capa colorida durante o dia e disposto como almofada dentro do conjunto.

A ordem e tamanho da composição

- As almofadas de tamanho maior são as capas dos travesseiros, que sustentam o conjunto e funcionam como espaldar para a cama. Foi usado o tamanho 70×45 cm com abas acolchoadas de 7 cm em três lados, para aumentar o volume.
- As almofadas grandes na frente das capas de travesseiros mediam 50×50 cm.
- As almofadas menores na frente das almofadas grandes tinham 40×40 cm.
- As almofadas “rim”, com formato retangular pequenas, eram 40×20 cm.

Regina Segura/Divulgação

Regina Segura/Divulgação

Material

Foi usado algodão com poliéster na maioria dos tecidos para que resistam bem à lavagem e ao tempo. A mistura de fibras garante uma melhor estrutura no tecido e as almofadas ficam mais “armadas”. As capas são acolchoadas para ficar ainda mais armadas e todas receberam “vivo” nas bordas para dar um acabamento mais formatado. “O “vivo” é um rolinho de tecido, costurado na bainha das almofadas”, conta a arquiteta.

Economize!

A grande artesã desse projeto foi a avó materna das meninas, que fez o edredom, as almofadas e a cortina! Apenas a almofada de flor em organza foi comprada da loja Caborê no centro histórico de Paraty.

Texto: Larissa Faria e Thaís Luquesi/Colaboradora